Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

InMyDefence

Essencia

Fevereiro 23, 2018

Crescemos, somos adultos e de repente deparamo-nos com a finitude: todos os livros que nao vamos conseguir ler, todos os verbos que nao vamos conseguir conjugar, todo o mundo onde que nao vamos conseguir ir. Nao nos vamos cruzar com dezenas de pess0as que admiramos, nao vamos ver todos os filmes bons que gostariamos, nao vamos ter o conhecimento para responder 'a existencia.

Somos, agora mais velhos prioritizamos a qualidade, queremos mais mas bom, nao vamos por ir. Vamos a procura duma experiencia unica, inesquecivel que nos um sabor novo, outra perspectiva, um novo ideal, a diferenca entre o que pensavamos saber e a opiniao contraria fundamentada. Queremos acima da media: afinal a nossa memoria e' limitada, afinal ja nao conseguimos saber todos os detalhes daquela cena, nao guardamos toda a informacao como dantes, nao achamos importante saber coisas irrelevantes. Queremos mais, queremos o essencial, celebramos o acessorio, preferimos o entardecer melancolico, o por-do-sol, a calma do apreciar o momento, os pes literalmente na areia, o cheiro a maresia gelado invadindo-nos.

Contudo, existem memorias indeleveis: aquela manha, na infancia, em que caimos, o verde daquela relva tao perto do nosso olhar, os pes de quem continuava a correr sem nos ver o cao que nos perseguiu, a reaccao de protecao de quem estava connosco ou a ausencia desse carinho. A memoria da primeira paixao, as marcas da nossa historia: os amores, os traumas, as dores, a injustica.

Guardamos os sabores, que associamos inconscientemente a imagens, a fotogramas coloridos esbatidos, musicas que nos soam descordenandas num ritmo incerto em lapsos de pensamento. Guardamos as palavras, uma paisagem, um livro recomendado, uma dedicatoria sentida espraiada em letras cuidadas, e somos nos, somos nos outra vez com essa pessoa com quem partilhamos a euforia de viver.

Guardamos os cheiros que nos transportam, as vezes de forma tao violenta, em turbilhao, que ficamos sem saber reagir, sem saber sentir aquela realidade que nos chega e que ao mesmo tempo e' distante de nos e muitas vezes de quem somos.

 

Came in from a rainy Thursday
On the avenue

Thought I heard you talking softly

 

Sorrimos e seguimos e a vida acontece.

 

 

Lugar

Fevereiro 11, 2018

Sittin' here resting my bones
And this loneliness won't leave me alone, listen
Two thousand miles I roam
Just to make this dock my home, now

 

Tinha vindo, aos poucos, para aquela casa. De inicio nao se tinha decidido pelo lugar: em frente a janela a olhar as arvores, com a lareira em frente ou enconstado a parede. As novas tendencias explicavam como era errado encostar moveis a parede, e' o que se faz, pensa-se que se ganha espaco. Quando mudamos de casa, os nossos objetos ganham outra vida, outra luz, conseguimos dar-lhes outra perspectiva, desabituamo-nos dos espacos e consultamos o pinterest, reinventamos a casa e o dia-a-dia e as ideias fluem. Ficou um par de anos apenas com uma companhia, por vezes , visitado por amigos, outras vezes embalo de carinhos e amores, depois mudou-se para a janela, finalmente suspirou... apanhava os raios de sol de fim de tarde, esticava-se depois de almoco e era verdadeiramente feliz, mesmo sozinho. Um dia saiu da janela, de novo, aos poucos, para outra casa, agora mais longe, agora mais espacosa mas que nao tinha lugar para ele.

 

O dia comecava a nascer, o aviao decolava do aeroporto de Lisboa, iam mudar de pais, residir noutra terra, emvolver-se noutra cultura, entender os segredos de outra lingua, os interesses de outro povo. Inverno rigoroso e Verao mentiroso, um Outono e uma Primavera muito simpaticos. A surpresa da comida foi-se vencendo nos dias, a ausencia de alguns alimentos foi sendo esbatida, as lojas apresentavam os mesmos produtos por preco bastante inferior, as coisas essenciais iam chegando e outras tambem porque a vida precisa de detalhes.. A casa vazia, a sala enorme reclamava a falta de um sofá, mas um sofá e' das pecas mais caras! Uma noite no ebay estava um sofa simpatico a espera de apostas. Nao ficava caro, tinha que se ir buscar a uma town perto de Londres. Ia ficar ali bem, naquele espaco. Ja tinha o lugar certo para ele!

Horizonte

Fevereiro 07, 2018

Hoje estou aqui, olho o horizonte, o mar brilha com a luz do sol refletida, a brisa e' amena, o ar quase doce. Gosto desta varanda, vejo a piscina la em baixo, quase me apetece descer mas o red red wine embala-me aqui, ele conta uma historia quaquer pergutna se quero ir sair a noite, talvez jantar tapas. Descobri esta comida que pensava conhecer, tudo e' tao bom, tudo e' tao simples que me parec irreal, a vida corre leve, tudo agora e' melhor porque menos, porque natural. Acompanham-me os livros o jazz que toca como agora, o mar salgado, as vezes tao salgado que me deixa riscas brancas na pele. O meu dia preferido acaba na praia, com cerveja e camarao. ou aqui, nesta varanda dos sonhos red wine, musica de fundo, ele e a promessa duma noite feliz. Lembras-te quando o Bob te prometeu que tudo ia correr bem que nao precisavas de te preocupar? aquele momento trouxe-te a vontade de acreditar, de deixar fluir. Aconteceu e resultou, tudo correu bem quando parecia impossivel.

Amanha tenho que ir fazer compras para a loja, nao sei se vou a Lisboa e fico por la ou se volto no mesmo dia e descansamos no Alentejo,  os filhos vem no fim de semana, todos! ja pensei nalgumas coisas otimas que eles adoram: lasanha time! Vou dizer-lhe para irmos dar uma volta de bicicleta, podemos parar no Romero e trazer uns mariscos, ou descer ao lobby e ouvir 'a banda passar'!

Acho que s miudos ficam por umas duas semanas, esta quente e aproveitam as ferias, a casa cheia comooutrora, nem sempre confortavel mas e' uma alegria por uns dias, quando eles vao tudo fica vazio mas felizmente temos muito que fazer!

Devia ir pintar as unhas!

 

 

Quando ela me falou de morarmos aqui eu pensei que er auma boa ideia, a vida de paz que eu ansiava, talves fazer com que ela relaxasse tambem, os detalhes sao o que fazem do todo especial. Gosto Da musica que ela ouve , finalmente me relaxa, me embala, principalmente ao por-do-sol! Esta terra e' muito especial! aui o tempo tem masi tempo, do lado de la da fronteira o tempo esquece-se de obedecer mansamente. gostod e encontar musica em cada esquina alguem que danca, uma alegria que sorri, um jardim que secula mosaicos de sempre. Ela e' feliz aqui, comos e recuperasse a infancia que nao teve, eu souf eliz aqui porque a vejo sorrir, porque vivo em paz  e os filhos estao bem. E' especial quando eles veem, e' especial que continuem a perseguir os seus objetivos, as vezes no Inverno gostava que estivessem mais perto,principalmente quando vejo as temperaturas que fazem la, mas eles mandam-me fotos com neve e gorros, e contam-me dos seus feitos, primeiro contam a mae que fica sempre euforica com a felicidaade das suas crias e depoiscontam-me a mim, querem ouvir uma reflexao imparcial e perguntamme o que acho. SO temos um filho aqui, os outros estao longe e fazem o seu caminho, curiosamente ela esta no nosso home country e os outros no nosso outro pais. Podiamos ter pedido a cidadania mas ia soar a falso, gostar da monarquia, da comida da cultura, das towns iguais e das idiossincrassias tantas, saber o humor e depois vir embora dum pais que nao nosso para outro mais nosso mas nao nosso tambem.

Sou feliz, a vida e' isto nao e'? ser feliz! com pouco, muito, com sucesso, uma carreira, com um carro enorme e uma mansao ou simplesmente a andar de bicicleta!

Vou dizer-lhe se quer amanha ir a piscina bem cedo, depois podemos ir a Lisboa e se nao quiser ficar no Alentejo podemos ir a Sagres! e no fim de semana acabar o sabado com cerveja e marisco... ao por-do-sol... apetece-me...

Agora, vou perguntar-lhe se quer ir dar uma volta de bicicleta, sao as festas! podemos passar na marina ou no Romero e trazer um marisco para o jantar

Amanha temos que acordar cedo, ela adora viajar quando toda a gente comeca a acordar e a musica acompanha-nos o silencio, vamos a Lisboa, deve querer ir ver a Gulbenkian, o miradouro, lanchar no Chiado, e depois atravessar a ponte a procura duma certa rua.

 

A vida... distante....

 

 

Red, red wine

Goes to my head

Makes me forget

 

Ayer

Fevereiro 05, 2018

Que direito tem o outro de nao amar se eu amo. Que posso eu fazer se o mundo nao me permite essa vivencia. Num mundo ideal teriamos mais do que uma oportunaidade, uma vida que podia se experiencia sem magoar. O outro que gosta de estar comigo mas nao de mim, que a paixao nao vive nele mas que me da a mao, que me beija de olhos fechados e me abraca e me mostra o por-do-sol mas que nao me quer todos os dias, o outro que pensa no que lhe digo, que me ouve, que me telefona tarde antes de ir dormir que acorda em sobressalto porque ja nao falamos e vivemos zangados. Que direito tenho eu de amar sem pedir? que e' este amar egoismo de querer? como se avanca s evai e se vive e se deixa esse amor para tras? num limbo em que fomos nos mas num presente em que ja nao existimos. Onde vivem as memorias de nos, os momentos em que chegamos, em que o tempo foi so nosso, em que as nossas maos eram apenas nossas e que o resto do mundo nao existia, onde esta essa fantasia de estar apenas porque se queria estar e sabendo que depois se ia de novo para a vida real. Os sorrisos,as mil conversas, a spalavras trocadas e os silencios guardados, a paixao quente, ardente, a paixao que alimentava esse acontecer todos os dias.

As vidas reconstroem-se voltam a fazer-se, conhecem-se novas pessoas, tudo volta a um inicio e de novo nos reconstruimos em torno dessa historia, mas tambem somos novas pessoas, com outros sonhos, outros pensares, outras pessoas que fazem da nossa circunstancia um outro eu.

Ha menos de seis anos atras, provavelmente estaria a dormir, acordaria para uma realidade que nao gostava mas que tinha de ser, chegaria ao cafe num cansaco pelo dia que viria, e ela chegaria atrasada com mil conversas de si, cheia de si que sera desse vazio que assim se preenchia? Ouvi-a aprendendo como as vezes as pessoas nao conseguem perceber-se, pessoas que vivem apenas voltadas para si proprias, nada mais importa mesmo que os outros lhes pecam silencio. Gostando ou nao das pessoas, partilhando ou nao com eles interesses, concordando ou nao com os seus ideais, a verdade, e' que as pessoas ensinam-nos sempre alguma coisa e com elas aprendemos mesmo que nao queiramos.

O amor governa-nos e o egoismo tambem.

 

De que te vale ahora presumir
Ahora que no estoy ya junto a ti
Que les dirás de mi

Tempo

Fevereiro 03, 2018

Vi helices hoje, daquelas gigantes que metem medo, a primeira vez que estive assim tao perto foi nas Caldas da Rainha, aquilo pareceu-me meio alienigena, meio estranho e com um que de assustador. Comecei a pensar que os passeios ao mercado das Caldas acabaram ha mais de 12 anos, a vida passou nunca mais fui as Caldas, nao sei s eo mercado ainda existe, se a terra esta igual, havia uma floresta perto muito fresca ou seria apenas uma longa estrada?

Vinha do ikea, e comecei a pensar se o fundador tera conseguido fazer tudo que sonhou, porque sera que as pessoas compram coisas que nao precisam e enchem a casa de coisas que tem de cuidar e depois nao tem tempo e as coisas ficam la perdidas ate irem perdidas para uma arrecadacao e depois par ao lixo? sentei-me numa daquelas salas do ikea, azul marinho de fundo, sofas brancos e uma poltrona cinza, mantas colocadas nos sofas, mesinha de vidro cheia de bibelots, os moveis pretos com vidro cheios de loica e livros e luzes e leds e coisas que nao me lembrei nunca de precisar! ia vendo as pessoas passarem: uma que nao conseguia abrir o saco amarelo, outro miudo que corria por cima de tudo e esbarrou numa cadeira que fez a folha de alface resvalar para baixo do tapete e ali ficou, passaram casais sozinhos e casais com filhos, um casal tinha 4 filhas uma com 2 anos e outra com 17, est ultima nao tirou os olhos do telemovel e quase ia caindo em cima da irma que corria ali a volta. Outras pessoas tiraram medidas e outras tiravam fotografias, ninguem se sentou perto de nos, e ninguem esteve ali muio tempo, as pessoas estavam apressadas mesmo sendo um sabado, eu sentia a estrutura tremer, notava-se que oscilava levemente e pensei que seria  se aquilo caisse, se o ikea nao limitava o numero de acessos. Nao paravam de chegar pessoas, era incrivel.

As pessoas compram tudo, compram porque esta barato e porque tem uma cor bonita, compram porque e' original e compram porque gostam apenas, raramente compram apenas porque precisam. Claro que as vezes apetece mudar as cores das coisas, ter o roupeiro cheio de opcoes mas a verdadinha e' que cansa! Cansas ter muitas coisas, e' muito mais tranquilo ter espaco nas gavetas, ter espaco quando andamos pela casa. Ver as bancadas da cozinha quase vazias, a casa ganha uma amplitude enorme, a energoa flui e do mito passa a realidade ese acreditar que a energia realmente reflete-se no espaco.

A vida deu voltas e voltas e contravoltas, o momento e' de impasse. E quando acreditaste que nunca ias conduzir? e quando acreditavas que era impossivel que aquela terrivel situacao nao voltaria a bom porto? e quando pensavas que a vida ia ficar ali naquela modorra? seguiste e a vida?.. seguiu.

Nao sei se sera bom saber o futuro, ninguem sabe mas seria?

 

Angie, Angie
When will those dark clouds all disappear
Angie, Angie
Where will it lead us from here
With no lovin' in our souls
And no money in our coats
You can't say we're satisfied

 

 

Ipso Facto

Fevereiro 02, 2018

O novo programa do Miguel e do Bruno e'muito bom, o non sense da conversa, o acting implicito, todo aquele aparato que nos faz sentir parte de e que, no final, acaba, subitamente connosco a dizer ohh ja? Lembras-te quando vias a Noite da Ma Lingua e te surpreendas com a cultura deles? especialmente do Zink e do Miguel, e quando acabava tambem sabia a pouco, nem tudo tinha sido falado, nem tudo tinha resposta, outras coisas nao entendias por causa da gritaria. Aquele programa abriu horizontes, ficavamos a pensar nas coisas, a achar respostas e a pensar que a Rita era mesmo irritante. Nao e'! a Rita e' a melhor actriz portuguesa,tem um tempo incrivel em televisao, temos que a conseguir ver no teatro, aprecio a forma como diz o texto, os silencios que enfantizam a sua personagem, as expressoes que sao just on time e tao perfeitas que na Gaiola Dourada quase me convenceu que tinha sido porteira em Paris.

Creio que a Noite da Ma Lingua era as quartas, era um boost na semana, questionavam um pais cinzento e torpe, chatinho e sem sair da mesmice, diziam coisas impensaveis e os polliticos e famosos comecavam a ter que dar respostas que outrora se esquivavma em nome de serem nao sei quem.

Neste "Fugiram de casa de seus pais" nao sei que gosto mais, a musica do inicio, o olhar enlevado do Miguel para o Bruno, como quem desculpa as traquinices da crianca,enquanto ele lhe desmancha a casa e ajeita as cameras. O non sense do desdobrar dialogos imaginarios. A intervencao dos convidados nem sempre vem em tempo ou dura pouco, ou e' desprepositada, aquela malta tambem, como nos, leu Miguel na adolescencia, e' dificil vermo-nos em frente aos nossos idolos. O Bruno e' muito bom, especialmente desde que tem barba, a barba trouxe-lhe um equilibrio a cara e enquanto performer, ja nao irrita ouvi-lo, esta mais perspicaz e faz mais sentido o que diz.

Convidados que ali ficavam a matar com o papel de parede era o Herman, o Manuel Serrao, o Salvador Sobral, a Manuela Moura Guedes. E' bom que continuem 13 episodios nao da, anseio por ver o ultimo, sera que fecharam o Belcanto? sera que as pessoas se metem na conversa? sera que estao isolados? que terao comido? era bom?

Eles nao sao de cheesecake.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D