Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

InMyDefence

InMyDefence

05
Fev18

Ayer

inmydefence

Que direito tem o outro de nao amar se eu amo. Que posso eu fazer se o mundo nao me permite essa vivencia. Num mundo ideal teriamos mais do que uma oportunaidade, uma vida que podia se experiencia sem magoar. O outro que gosta de estar comigo mas nao de mim, que a paixao nao vive nele mas que me da a mao, que me beija de olhos fechados e me abraca e me mostra o por-do-sol mas que nao me quer todos os dias, o outro que pensa no que lhe digo, que me ouve, que me telefona tarde antes de ir dormir que acorda em sobressalto porque ja nao falamos e vivemos zangados. Que direito tenho eu de amar sem pedir? que e' este amar egoismo de querer? como se avanca s evai e se vive e se deixa esse amor para tras? num limbo em que fomos nos mas num presente em que ja nao existimos. Onde vivem as memorias de nos, os momentos em que chegamos, em que o tempo foi so nosso, em que as nossas maos eram apenas nossas e que o resto do mundo nao existia, onde esta essa fantasia de estar apenas porque se queria estar e sabendo que depois se ia de novo para a vida real. Os sorrisos,as mil conversas, a spalavras trocadas e os silencios guardados, a paixao quente, ardente, a paixao que alimentava esse acontecer todos os dias.

As vidas reconstroem-se voltam a fazer-se, conhecem-se novas pessoas, tudo volta a um inicio e de novo nos reconstruimos em torno dessa historia, mas tambem somos novas pessoas, com outros sonhos, outros pensares, outras pessoas que fazem da nossa circunstancia um outro eu.

Ha menos de seis anos atras, provavelmente estaria a dormir, acordaria para uma realidade que nao gostava mas que tinha de ser, chegaria ao cafe num cansaco pelo dia que viria, e ela chegaria atrasada com mil conversas de si, cheia de si que sera desse vazio que assim se preenchia? Ouvi-a aprendendo como as vezes as pessoas nao conseguem perceber-se, pessoas que vivem apenas voltadas para si proprias, nada mais importa mesmo que os outros lhes pecam silencio. Gostando ou nao das pessoas, partilhando ou nao com eles interesses, concordando ou nao com os seus ideais, a verdade, e' que as pessoas ensinam-nos sempre alguma coisa e com elas aprendemos mesmo que nao queiramos.

O amor governa-nos e o egoismo tambem.

 

De que te vale ahora presumir
Ahora que no estoy ya junto a ti
Que les dirás de mi

Pesquisar

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D